Universidade Federal de Jataí:

Aluna denuncia que sofreu preconceito de professor devido a roupas religiosas.

Uma aluna da Universidade Federal de Jataí, no sudoeste do estado, denuncia que sofreu preconceito de um professor que disse que ela não poderia continuar indo às aulas usando as roupas ligadas à sua religião, o candomblé. O docente, no entanto, diz que fez apenas uma pergunta por curiosidade e que quer se desculpar com a estudante.

A jovem, de 21 anos, está no primeiro ano da faculdade e, devido ao período conhecido como preceito, que é a preparação para os rituais do candomblé, ela precisa usar saia ou vestido longo.

“Eu estava na aula tentando ser a mais discreta possível, só com meu vestido longo, com meu fio de conta, que é obrigatório estar usando, e nada mais”, disse a jovem, que não quis divulgar a identidade e nem qual o curso faz.

A estudante conta ainda que, quando o professor entrou, ele perguntou qual era a religião dela. “[Ele perguntou] Se eu iria fazer uma apresentação para ele na sala de aula e por que eu estava vestida com aquela roupa. Quando eu expliquei, ele disse que a minha roupa era inadequada. Eu comecei a chorar, fiquei sem reação e saí da sala”, disse.
O professor disse por telefone à TV Anhanguera que era a primeira vez que via a aluna e perguntou sobre a roupa apenas por curiosidade, sem intenção de ofender. Ele contou ainda que quer se desculpar pela atitude que teve dentro de sala de aula e que causou o constrangimento.

O caso aconteceu em março, mas apenas agora a estudante registrou o caso na Polícia Civil e na ouvidoria da universidade.

Em nota, a UFJ disse que a denúncia vai ser investigada e que os procedimentos a serem adotados seguem o que estabelece o regimento da universidade. A instituição explicou ainda que adota medida para prevenir todas as formas de preconceito.


(Fonte: G1)